25 de ago de 2011

De novo, Jobson?

Os bastidores da saída de Jobson do Bahia são deprimentes.

 Ele foi expulso pelos jogadores.

Uma comissão de atletas pediu a Renê Simões o seu desligamento.

 A equipe não queria mais conviver com ele.

A situação foi muito além do simples atraso na apresentação para o jogo contra o Santos.

 Desde que chegou ao Bahia, emprestado pelo Botafogo, ele está criando problemas.

Irritado, nervoso, não fez questão alguma de se entrosar com o time.

 Detestava estar em uma equipe que luta apenas para não ser rebaixada para a Série B.

Deixava claro que tem futebol para estar em clube mais forte, brigar pelo título.

 Além de fazer questão de se isolar, começou a atrasar nos treinamentos.

Renê Simões teve várias conversas com ele.

 Inclusive em frente ao time.

As desculpas variavam.

 Trocar o horário do treino da manhã pela tarde...

Errar o caminho...

 Mas houve uma justificativa que foi péssima, terrível...

Antes de se envolver na confusão definitiva antes do jogo havia sido desmoralizado.

 Diante de mais um atraso, disse que sua mulher, grávida de quatro meses, havia passado mal.

Teria tido um sangramento e poderia até perder o filho.

 Jobson foi obrigado a ficar cuidando dela e acabou perdendo o horário...

De acordo com repórteres importantes baianos, nada disso aconteceu...

 Sua mulher não passou mal...

Ele que se atrasou mesmo...

 Quando o time soube, vários jogadores passaram a nem mais conversar com ele...

Jobson quase trocou socos com Carlos Alberto...

 Discutiu com Fahel...

Com Tite...

 A diretoria autorizando dando punições monetárias...

Suas indisciplinas iam para a 'caixinha' dos jogadores...

 Mas Jobson não se importava...

Seu salário é de R$ 80 mil...

 R$ 40 mil pagos pelo Bahia...

E os outros R$ 40 mil pagos pelo Botafogo...

 O clube carioca aceitava pagar metade do salário só ficar com o atacante longe do Rio...

A gota d'água aconteceu na noite da sexta-feira...

 O time deveria se apresentar às 22 horas no luxuoso hotel cinco estrelas na estrada dos Cocos...

E dormir para treinar pela manhã...

 O time enfrentar o Santos no domingo...

Jobson chegou às três horas da manhã...

 Embriagado...

Logo na manhã seguinte, uma comissão de atletas pediu a Renê Simões que não o perdoasse...

 Os jogadores não se conformavam com o tratamento diferenciado a Jobson...

Renê procurou o responsável pelo futebol do clube, Paulo Angioni...

 E os dois decidiram procurar o presidente Marcelo Guimarães Filho...

Como o trio tem muito medo do rebaixamento do Bahia, decidiram que Jobson seria dispensado...

 Não atrapalharia o time na luta para ficar na Série A...

Jobson não teria ficado chocado com a decisão...

 Assim como não se importou em sair do Atlético Mineiro por não se sujeitar às regras de Dorival Júnior...

O clube queria que ele passasse por um período em uma clínica de reabilitação de drogados...

 E ainda se submetesse a exames de sangue periódicos sem aviso...

Ele não gostou, sentiu que todos desconfiassem dele...

 Quis sair...

O jogador parece viver um mundo de fantasia...

 Foge da realidade...

Ele foi suspenso por dois anos pelo uso de cocaína nos jogos contra Palmeiras e São Paulo no Brasileiro de  
2009...

Acabou tendo sua pena diminuída para seis meses...

 O CAS, Comitê Arbitral do Esporte, na Suíça, não concordou com a redução...

E o convocou para dar seu depoimento...

 Foi atrás de todos os fatos...

E dará seu veredicto no dia 5 de setembro...

 A suspensão de dois anos do jogador poderá voltar a valer...

A diretoria do Botafogo não pode vê-lo nem pintado...

 Apenas faz questão de manter o vínculo para vendê-lo...

Se aparecer algum interessado...

 Ninguém o quer mais jogando pelo time carioca...

Se tiver muita sorte e o CAS aceitar a redução de pena para seis meses...

 Jobson só poderá jogar por times cariocas da Série B ou C...

Como já houve duas transações interestaduais em 2011, para Atlético e Bahia, a legislação permite apenas  
que atue em clubes do estado onde está resgistrado seu contrato...

Nem pensar em Flamengo, Vasco e Fluminense porque já ultrapassou o número de sete partidas permitidas  
no Brasileiro...
Entrou em campo 15 vezes pelo Bahia...

 Não pode mais atuar em outra equipe da Série A...

Mesmo se o CAS não aumentar a sua suspensão, não sabe se voltará a jogar este ano...

 Não quer atuar por um time da Série B ou da Série C...

Não aceita a decadência...

 Renê Simões lamenta porque, de acordo com ele, Jobson tem grande potencial...

Mesmo com todas as confusões que aprontou, marcou seis gols pelo Bahia...

 Rejeitado pelo Botafogo, Atlético Mineiro, Bahia...

Fez técnicos rodados como Joel Santana e Felipão desistirem dele...

 Scolari levantou a vida do jogador e não o quis no Palmeiras...

Acreditou que ele poderia atrapalhar o time, mesmo fazendo gols...

 Como fez com Renê Simões no Bahia...

Chegou a hora de acordar para a vida, Jobson...

 Lembrar da pobreza imensa de sua família no Conceição do Araguaia...

Do choro desesperado de sua mãe, dona Lourdes...

 Dos oito quilos que ela perdeu de desespero nos seus julgamentos...

Da vergonha de ver o filho envolvido com cocaína, com crack...

 O mais chocante da história está no seu RG...

Você tem apenas 23 anos...

 Cedo demais para jogar a carreira, a vida fora...



Fonte: Blog do Cosme Rímoli - R7 

Nenhum comentário:

Postar um comentário